Blush-se: Amizade Branca & Preta - Parte 2

1 de out de 2014

Amizade Branca & Preta - Parte 2


- Sabe dizer por onde perdeu a chave? – perguntei.
- Se soubesse não pediria a sua ajuda...
- Nossa...Só perguntei.
Ele deu um sorriso debochado grudando seus olhos aos meus, e depois voltou ao caminho.
- Deve estar perto da casa da árvore!
- Casa da árvore... – repeti.
Ele se virou para mim.
- Algum problema?
- Faz tanto tempo, encontramos juntos aquela casinha caindo aos pedaços, - ele abriu um sorriso - passávamos todas as tardes escondidos aqui reformando aquela coisa velha, eu, você e o... Zac.
Logo seu sorriso desapareceu e sua expressão tornou-se rígida.
- Já falei para não falar mais sobre ele – ele dizia voltando a trilha.
- Ele é seu irmão!

- Acabou o assunto...
Zac e Jake não se falam há muito tempo! Jake tem um certo "ódio" pelo irmão por pequenos dois fatos, quando seu pai traiu sua mãe Zac acabou se mudando com o pai para Nova Iorque, quando tínhamos sete anos. Jake nunca aceitou isso, desde então nunca perdoou o pai nem o irmão. 
O outro fato, acredito que seja culpa minha... Quando pequena era muito dividida entre os dois irmãos acabei me apaixonando - se é que posso usar isso, já que o sentimento não era tão forte! - por Zac, aos onze fiquei sabendo que ele namorava. Chorei todos os dias e Jake me ajudou a superar tudo, e por mais que não tenha sido muita coisa para mim, Jake nunca aceitou meu sofrimento. Talvez seja por isso que hoje sou realmente apaixonada por ele. Sempre comigo nos momentos difíceis...
 As vezes converso com Zac por Skype, mas é raro ele já tem dezenove e vive trabalhando!
Pensando tanto acabei ficando para trás. Quando vi Jake pulou de uma pedra alta para o meio de algumas arvores.
Parei na ponta da pedra e fiquei analisando a altura. Era alto. Bem alto.
- Vamos Lilian.
- Não dá!
- Por que?
Apontei para minha roupa branca. Se pulasse poderia sujar de terra e se escorregasse pela pedra a sujaria de musgo. Jake revirou os olhos.
- Pule - ele estendeu os braços - eu te pego.
- Não vai me deixar cair?
- Nunca! - ele sorria.
"Nunca!" aquela palavra vindo de Jake gelou não só meu coração como meu corpo todo. Talvez não tenha significado muita coisa para ele, mas eu entendi o que ele quis dizer com aquele nunca. E tinha certeza, que não estava apenas se referindo a me deixar cair daquela pedra.
Olhava para baixo desconfiada, mas resolvi confiar em Jake.
- Tudo bem. Um... Dois... - fechei meus olhos e me joguei.
Abri os olhos somente quando pude sentir o corpo de Jake.
- Três! - ele falou sorrindo.
Dessa vez pude sentir seu perfume mais perto que nunca, guardei na memoria aquele momento e como ele cheirava bem, seus olhos castanhos estavam cravados a mim, corei.
Ele me colocou no chão e eu olhei através das arvores. Já tinha começado a escurecer...
- Ligue sua lanterna.
Ele ligou a lanterna vermelha e caminhamos aos pouquinhos até a casa na árvore.
- Então? - sorri meio sem jeito.
- Que dia é seu aniversário mesmo?
- Daqui dois dias - vasculhava o chão com os olhos a procura da chave.
- Você já sabe que irei viajar e não poderei ir ao seu aniversario né?
- Sim, tomei consciência que meu melhor amigo me deixara no dia mais importante do ano... - brinquei.
Ele riu silenciosamente e encostou na árvore bem abaixo da casa, cruzou os braços e relaxou seu corpo.
- Então... Vai ficar aí mesmo, sem me ajudar a procurar a sua chave?
- Queria te dar este presente.
Ele falava tirando uma corrente do bolso de seu shorts. O pingente era uma bolinha transparente que dentro tinha um liquido rosa e roxo, não sabia se era água ou gel. Parecia bastante com um Bottle Nebula, tinha glitter e dava um certo efeito mistico. 
Ele era finalizado com pequenos detalhes serpenteando a bolinha de dourado. Abri o maior sorriso que minhas bochechas aguentaram.
- Jake, é lindo!
- Que bom que gostou eu não sabia se...
- É sério, é perfeito! - interrompi.
- Então será que a senhorita me daria as honras?
Sorri e fiquei de costas para Jake. Tirei meu cabelo da nuca e ele passou o colar por volta do pescoço delicadamente senti sua respiração perto da minha nuca, o que provocou um calafrio. Ele fechou com cuidado. Soltei meu cabelo e então segurei o pingente. E o abracei.
- Muito obrigada! Não sei como agradecer... É o colar mais lindo que já ganhei.

Para acompanhar:


O que estão achando de Amizade Branca & Preta? Me contem nos comentários, vou adorar saber. Se tiverem alguma sugestão, correção ou reclamação podem entrar em contato pelo meu e-mail amanda.carluche@gmail.com :)


Um comentário:

  1. Já estou a amar já pensaste em publicar um livro? Sério está muito fixe

    Chroniclesofacrazygirl.blogspot.com

    ResponderExcluir